Conheça o Projeto Massificação Maria Esther Bueno

O Projeto Massificação Maria Esther Bueno do Instituto Tênis está em seu sexto ano de execução e tem como principal objetivo ampliar a quantidade de praticantes de tênis na base e proporcionar uma continuidade de prática e aprendizado aos alunos que já vêm participando do projeto nos últimos anos. Para isso, o projeto oferece suporte metodológico e material adequado para os diferentes núcleos localizados em diversos estados do país, oferecendo capacitação e treinamento da equipe técnica, bem como acompanhamento das atividades realizadas.

Durante esses anos, o Instituto Tênis realizou projetos da Massificação via lei de Incentivo ao esporte (programa ligado à Secretaria Especial do Esporte, que oferece isenção fiscal do IR de empresas e pessoas físicas), assim como projetos via Lei Paulista de Incentivo ao esporte (programa ligado à SELJ – Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo – que oferece isenção fiscal do ICMS que seria pago pelas empresas). Ao todo, mais de 30 mil crianças foram impactadas em cerca de 20 cidades espalhadas pelas cinco regiões do país.

No ano passado, o Instituto Tênis fechou parceria com a família da maior tenista da história do Brasil: Maria Esther Bueno, que infelizmente nos deixou em 2018. Como forma de homenageá-la e deixar o seu nome vivo no mundo do tênis, o Instituto Tênis adotou o nome “Projeto Massificação Maria Esther Bueno.”

Até 2033, a meta é alcançar cerca de 540 mil crianças por todo Brasil, permitindo que essas aprendam os ensinamento e os valores do tênis para serem melhores cidadãos e também terem uma oportunidade através do esporte para mudar suas vidas. Além disso, a ideia é que parte dessas crianças tenham aulas constantes desde a etapa de formação para que continuem treinando sistematicamente, possibilitando também que elas possam se tornar tenistas no futuro.

Núcleos Atuais:

BRASÍLIA

Elaborado por Marcelo Motta e por Carlos Chabalgoity em 2015, o projeto em Brasília se oficializou apenas no ano seguinte e hoje é o núcleo melhor estruturado, contendo todas as fases e números bastantes significativos. Somente no ano de 2018, foram impactadas cerca de 7.000 crianças, sendo 5.000 delas provenientes dos Centros Olímpicos, 2.000 crianças provenientes de escolas particulares Leonardo da Vinci, Colégio Marista, e Colégio Maurício Salles de Mello, e 16 delas fazendo aulas de 3 a 4 vezes na semana no Projeto Futuro Campeão, fase 3 do projeto, realizado no Clube ASTCU. Além disso, somente em 2018, cerca de 150 professores foram capacitados através dos encontros com o Gerente do Projeto, Marcelo Motta.

RECIFE

O núcleo de Recife se tornou oficial em 2018 e já em seu primeiro ano de atuação, o projeto impactou mais de 2.500 crianças, disponibilizando aulas em escolas públicas/privadas, na Squash Tennis Center e no Compaz. Dessas, 155 crianças estão fazendo aulas regulares, pelo menos duas vezes na semana, sempre supervisionados por Davi Barros, Coordenador do Núcleo e 20 professores voluntários, que foram capacitados através da visita do Gerente do Projeto, estão ajudando nas aulas do projeto.

BARUERI / SANTANA DE PARNAÍBA

A atuação nesse núcleo acontece em escolas municipais da região, que tem como vantagem a proximidade ao Centro de Treinamento do Instituto Tênis em Barueri. Por causa disso, algumas crianças que conheceram a modalidade através da fase 1 na educação física ou em aulas no contraturno escolar, estão realizando a fase 2 no Instituto Tênis e se desenvolvendo constantemente, chegando a disputar torneios nacionais já no início de 2019.

CURITIBA

O núcleo de Curitiba terá seu início no primeiro trimestre do ano de 2019 e proporcionará aulas em escolas públicas da região, assim como terá a fase 2 realizado na Academia Prieto Tênis, permitindo que as crianças consigam ter mais tempo em quadra, podendo se desenvolver mais rapidamente.

PORTO ALEGRE

O núcleo de Porto Alegre teve seu início oficial em 2018, quando já em seu primeiro ano, foi o núcleo que mais captou recursos individualmente para viabilizar a operação. Segundo Rosani, Gerente do Projeto em POA, o núcleo já possibilitou que 3.000 crianças conhecessem a modalidade nas escolas e que, através da capacitação, diversos professores, estagiários e voluntários pudessem obter o conhecimento da metodologia para replicar as aulas nesses locais.

BLOG MASSIFICAÇÃO

GRANDES NÚMEROS

/ Pessoas atendidas em todo o Brasil /

31.309
Total de crianças já impactadas
843
alunos na fase 2 do projeto
800
Professores já capacitados pelo projeto