março 15 2018 0comment

Mindfulness no esporte: Case com o tênis de alto rendimento no Instituto Tênis

Por Gustavo Habib e Lais Yuri

 

Todo atleta, do amador ao profissional, muitas vezes já se viu em situações onde o problema da sua performance não era técnico, estratégico ou físico.

Uma das maiores fontes de baixa performance durante treinamentos e competições deve-se ao fator chamado de “emocional”, “psicológico” ou “mental”. Essa grande parte do ser humano, quando não equilibrada, atua de maneira a prejudicar seu desempenho em qualquer tarefa que faça.

Isso torna-se mais verdadeiro no tênis. Jimmy Connors, tenista americano dono de 109 títulos pela ATP, disse em uma entrevista: “Tênis é 90% mental”. O tênis possui uma característica essencial que faz a parte psicológica ser tão importante: é um esporte onde 70% do tempo total do jogo não é jogado: estamos entre pontos, entre sets, sentado na cadeira, esperando o adversário sacar, etc. Assim, nesse 70% de tempo “não jogado”, nosso cérebro pode trabalhar a favor e também trabalhar contra nosso emocional. Então, todo tenista deve focar nesses 70% de tempo “ocioso” para fazer a diferença positiva em seu emocional.

No entanto, manter-se focado a todo momento durante treinamentos e jogos para manter seu equilíbrio emocional, físico, técnico e tático não é tarefa fácil.

Apesar de todos os personagens que influenciam o resultado final como treinadores, preparadores físicos, família, etc., o tênis é um esporte individual. Dentro da quadra, a responsabilidade é do atleta, tanto na vitória como na derrota, tanto no erro como no acerto.

Então pode-se imaginar a pressão que o próprio atleta se coloca nessa situação.

 

E como lidar com essas dificuldades durante os treinos e as partidas?

Devido a todas essas situações que se faz necessário uma preparação mental do atleta. Por mais fisicamente preparado, ainda é suscetível aos pensamentos, ansiedades, preocupações do jogo ou fora dele que consomem a energia e a concentração.

Uma dica essencial para que o atleta aprenda a lidar com esses pensamentos e preocupações é estar presente. Jogar um ponto após o outro, sem que aquele erro anterior afete seu próximo ponto, ou sem que o problema fora de quadra possa afetar seu treino.

É claro que é mais fácil falar do que fazer. Se fosse apenas estar ciente deste fato (“Quero estar atento, logo vou ficar atento agora”) seria muito mais fácil. É mais complicado do que isso.

Assim como podemos treinar a capacidade de estarmos presentes?

Uma das ferramentas muito utilizadas nas empresas e nas equipes esportivas é o Mindfulness.

 

Mas o que é Mindfulness?

Mindfulness, também chamado de Atenção Plena, é um estado mental de atenção ao momento presente com algumas características específicas: intenção, abertura, curiosidade, ausência de julgamento, algo que pode ser chamado de “mente de principiante”, que é a observação daquilo que acontece no momento como se fosse a primeira vez.

Essa atenção pode ser em relação ao som externo que se ouve (latidos, carros passando, chuva), observar alguma obra de arte ou qualquer objeto. Pode ser alguma sensação no corpo (temperatura, algum formigamento, relaxamento dos músculos), ou alguma emoção presente (ansiedade ou alegria), ou até algum pensamento (uma memória, preocupação, planejamento). O que importa não é o objeto da atenção, e sim a postura com que se usa essa atenção.

O que é mais interessante é que existem práticas que podem ser utilizadas para o desenvolvimento dessa atenção. São as chamadas práticas de atenção plena, um tipo específico de meditação. Nessa prática, você pode colocar sua atenção na respiração, por exemplo (um tipo de sensação corporal), nos sons externos, no corpo ou nos seus pensamentos. Tal atenção praticada com abertura, curiosidade, de acordo com o que o Mindfulness propõe. Nesse processo, sua atenção se dispersa muitas vezes, e então você intencionalmente retorna para o local onde escolheu repousar seu foco.

Essa prática é bastante desafiadora no dia a dia. Estamos sempre planejando, pensando sobre o passado e o futuro,, e como nossas emoções afetam nossos pensamentos e também nosso corpo, que sente dores e incômodos. Direcionar a atenção por alguns minutos é mais difícil do que se pode pensar. Porém a prática é justamente essa: o retorno. E é essa prática que vai tornar possível aquele desejo inicial: de jogar um ponto após o outro.

Assim como na prática, em que você se dispersa e volta, com abertura e sem julgamento, com o tempo esse hábito se mostrará dentro da quadra, fazendo com que o atleta fique mais presente no ponto (ou no treino).

A ciência começou a estudar o tema com profundidade a partir dos anos 2000. Hoje há milhares de pesquisas indicando os benefícios da prática de Mindfulness para a atenção e a regulação emocional.

 

Mindfulness nos esportes e no tênis

Um dos pioneiros no trabalho de Mindfulness nos esportes de alto rendimento foi George Mumford, instrutor de Mindfulness e autor do livro “The Mindful Athlete”. No livro, Mumford conta de seu trabalho principalmente no basquete, onde atuou ao lado de Phil Jackson (técnico 13 vezes campeão da NBA) com equipes como Los Angeles Lakers e Chicago Bulls, e atletas como Kobe Bryant e Michael Jordan.

Ainda no basquete, outro expoente da prática de atenção plena é LeBron James, já visto realizando a prática em partidas (veja em https://www.youtube.com/watch?v=SCR7OfRuQd4).

No tênis, um dos grandes responsáveis pela divulgação do Mindfulness no esporte foi Novak Djokovic. Conhecido por seus jogos competitivos e viradas históricas, Djokovic atribui esse equilíbrio mental durante a partida ao Mindfulness, como pode ser visto em seu livro “Sirva Para Vencer”.

Em seu livro, Djokovic fala sobre sua prática diária de Mindfulness e a importância dela para sua performance. Ele afirma praticar a meditação de Atenção Plena todos os dias, por 15 minutos: “Acredito muito no poder da mente. Se todos nós treinarmos nossa mente como fazemos com nosso corpo, acredito que alcançaremos o máximo de nosso potencial.”

Djokovic diz que a meditação o permitiu lidar melhor com emoções negativas como baixa auto estima, raiva e preocupação, e que isso fez toda a diferença em sua performance nas quadras. Para ele, a prática da meditação é tão importante quanto o exercício físico, e se feita com regularidade pode trazer resultados muito positivos.

“É o Mindfulness, esse tipo de visão holística na vida que me permite atingir o máximo do meu potencial como ser humano em todos os aspectos, não apenas físico, mas também mental, emocional e espiritual. Eu tento me disciplinar com todos esses exercícios diferentes que eu faço diariamente e me deixam mais tranquilo, presente, calmo e feliz.”

A partir de todas essas informações foi realizado um Projeto de Mindfulness no tênis de alto rendimento no Instituto Tênis, um dos maiores projetos de formação de atletas no tênis no país.

 

Como foi o trabalho no Instituto Tênis?

O Projeto de Mindfulness foi implementado na equipe através da psicóloga do esporte responsável pela área de Psicologia do IT, Laís Yuri, e pelo instrutor de Mindfulness, formado pelo único centro oficial de formação no Brasil, Gustavo Habib, que atua com empresas e organizações.

Foi realizado um primeiro encontro, com atletas a partir de 16 anos, para explicar o conceito, iniciar a prática além de disponibilizar um aplicativo de celular com práticas guiadas, construído pelo próprio instrutor, para que os participantes pudessem realizar a prática no dia a dia em treinamentos, competições ou em suas folgas.

Fernando Yamacita, 20 anos, tenista que já atua no circuito profissional, foi um dos pioneiros:

“No começo achava que não ia dar em nada, porém com o tempo vi que me ajudava e como isso se refletia na concentração em quadra”.

Nos encontros foram realizadas diversas práticas. Atenção à respiração, às sensações do corpo, caminhadas com atenção plena e até como trabalhar a atenção com aquilo que já faz parte do dia a dia: a raquete e as bolinhas. Afinal, a atenção pode ser praticada com qualquer coisa, o importante é a atitude e abertura.

Após alguns encontros, os atletas mais novos começaram a participar também, observando como aquilo estava ajudando os seus colegas.

Igor Gimenez, atletas de 17 anos, top 50 do ranking mundial juvenil também começou a fazer as práticas e comentou: “Tenho usado o mindfulness sempre antes de dormir, tem me ajudado bastante a sair de uma distração rápido, direcionar bem mais minha atenção. Também ajudou bastante a me acalmar antes de dormir já que geralmente fico muito ansioso antes de jogos, me ajuda a me acalmar um pouco também.”

A prática regular é uma grande dificuldade na rotina dos atletas. Dessa forma, o aplicativo é muito importante, pois possibilita que a prática seja realizada em qualquer horário, sem necessidade de que o instrutor esteja sempre presente. E claro, os encontros também são fundamentais, para compartilhar experiências, tirar dúvidas e também aumentar a motivação para a prática.

Foram realizados 12 encontros desde o início do trabalho. Foi muito estimulante o efeito do interesse nos atletas que ainda não haviam aderido. A curiosidade sobre o trabalho era grande, e os atletas que ainda não haviam iniciado queriam participar.

Dessa forma, diferente do trabalho que geralmente é feito em Mindfulness, com turmas fechadas e oito encontros, pela agenda dos atletas e a proposta do programa, os encontros eram abertos. Neles, eram discutidos temas como foco, as práticas, atenção plena no dia a dia e formas diferentes de praticar.

Ao final dos encontros, os atletas eram incentivados a desenvolver a atenção plena em situações cotidianas, como escovar os dentes, comer ou tomar banho. Afinal, para praticar não há necessidade de estar sentado, com as pernas cruzadas e de olhos fechados. O próprio dia a dia oferece diversas oportunidades para trabalhar o Mindfulness.

 

A continuidade

O trabalho de Mindfulness pode complementar a psicologia do esporte no preparo mental dos atletas. No Instituto, a presença dos tenistas nos encontros e alguns deles criando o hábito de prática regular, mesmo com todas as adversidades (aqui também a falta de popularidade do tema, ainda), mostra que há um longo caminho pela frente. Mas que ele pode ser percorrido.

A principal mensagem já foi passada: para se tornar um atleta de alta performance, o treinamento mental é tão importante quanto o físico. O tênis exige concentração, forte trabalho emocional e muita resiliência.

O Instituto Tênis busca oferecer toda a infra estrutura e treinamento necessário para que os atletas se desenvolvam, tanto dentro quanto fora de quadra. Afinal, todo o ambiente deverá colaborar para a criação  de atletas que logo estarão na elite do tênis brasileiro e mundial.

 

QUER APOIAR AS INICIATIVAS DO INSTITUTO TÊNIS? SEJA UM SÓCIO IT! SAIBA MAIS AQUI

 

Fontes:

https://greatergood.berkeley.edu/mindfulness/definition

https://www.huffingtonpost.com/neil-endicott/post_11514_b_9616446.html

https://www.psychologytoday.com/blog/turning-point/201509/champion-novak-djokovic-reveals-the-power-visualization

http://abcnews.go.com/Health/michael-jordan-kobe-bryants-meditation-coach-flow-ready/story?id=38175801

http://www.bostonglobe.com/magazine/2015/05/27/this-mindfulness-teacher-gets-results-just-ask-kobe/mMYGHRJSziVp4DLq2gAzcJ/story.html