agosto 28 2018 0comment

Instituto Tênis embarca para disputar US Open Juvenil e torneios profissionais

Igor Gimenez e João Reis, atletas do Instituto Tênis, embarcam hoje para uma gira pelos Estados Unidos, onde jogarão o US Open em Nova York e, depois, três futures na Califórnia. Os atletas serão supervisionados pelo treinador Alan Bachiega.

Disputando o seu último torneio na categoria juvenil, João acredita que a carreira no juvenil o tornou um tenista mais resiliente. “O circuito juvenil me ensinou bastante, principalmente a jogar torneios bem duros em sequência. Também me fez acostumar com a dureza do dia a dia, que é um fator bem importante no profissional”, afirma.

O pernambucano, que disputou o quali do US Open em 2017, acredita que pode aprender com os erros e ir melhor nesse ano. “Disputei o quali do torneio no ano passado e não fui bem. Acredito que me pressionei um pouco mais que o normal e acabei não tendo um bom desempenho. Esse ano, vou tranquilo. Treinei muito bem essas semanas na quadra rápida e estou confiante para essa chave principal”, diz.

Igor Gimenez disputará o qualifying do torneio a partir de Sexta-Feira. O paulista acredita que a experiência prévia no US Open também pode o ajudar a melhorar o desempenho este ano. “No ano passado, eu criei uma expectativa bem grande. Eu estava bem ansioso e, acredito que me atrapalhei um pouco por excesso de vontade. Esse ano eu estou mais preparado. Quero jogar mais tranquilo e conseguir impor mais o meu jogo. Quanto ao juvenil, acredito que a maneira de jogar e como jogar em determinados momentos são algumas das lições mais importantes que levo dessa etapa”, comenta.

O treinador Alan Bachiega acredita que os atletas estão preparados e conta detalhes do treino para essa gira em quadra rápida. “As últimas semanas foram importantes para treinarmos alguns detalhes específicos, tais como: um saque com mais slice, para eles terem um percentual maior de saque; sustentar posicionamento perto da linha de base para tirar o tempo; chegar na rede com uma qualidade um pouco melhor, assim como organizar e padronizar o início dos pontos”, explica.